#Aleatoriedades: Depois.

Depois de você fiquei um pouco mais sem rumo, um pouco mais discreta, um pouco mais desatenta e irritada. Depois de tudo o que passou eu decidi deixar o passado lá trás e recomeçar, mas eu ainda estou planejando sobre como fazer isso de forma impecável. Eu tenho escrito tudo o que me incomoda, mas isso te incomoda e tem me deixado sem ter o que fazer ultimamente. Tenho assistido a filmes que não fazem o menor sentido e chorado naqueles que eu presto atenção. Tenho tentado não ficar inconsciente por muito tempo porque eu fico esperando o barulho do telefone. Não deveria depositar todas as minhas esperanças em algo que não valerá a pena, mas isso mantém a minha cabeça ocupada. E essa espera tá ruindo o meu mundo todo.

Depois de você eu bebo para esquecer, mas acabo lembrando de tudo e a ressaca é ainda pior. Depois de você eu sinto tudo com mais intensidade, o medo de ver você em todos os lugares que eu vou e o que me fode é que eu te vejo em todos os lugares, mas a minha única certeza é que não é você. Depois de você o meu beijo é diferente, o meu toque é diferente porque com você tudo se tornava melhor. Depois de você eu presto atenção em cada música, talvez alguma delas se encaixe no que eu estou sentindo e me favoreça com uma indireta. Eu nem percebo os caras bonitos porque nenhum me olha do jeito que você fazia, e isso me faz perder o interesse logo de cara. Eu não me interesso por quase nada, na verdade. Os lugares não tem graça, as pessoas menos ainda, tudo ficou extremamente indiferente. Nem nos meus dias mais escuros eu fui tão triste do que esses depois de você.

#aleatoriedades: ah, esse silêncio…

Faz mais de 30 minutos que eu tô olhando para o teto. Tá ventando lá fora e um frio aqui dentro. O silêncio tá me matando, junto com essa ansiedade que traz essa maldita insônia.

Eu tô te esquecendo e ainda não sei se isso é uma coisa boa ou ruim. É como se eu custasse a lembrar de algo muito bom que eu deixei escapar. São seis mil quilômetros agora, eles estão cortando meu coração em pedacinhos pequenos, talvez para fazer com que eu não sinta mais nada. Eu tô aproveitando um vazio que não deveria ser meu.

Eu imaginei tudo, idealizei tudo e por fim, eu apaguei tudo dos meus planos. Me peguei sendo duas pessoas diferentes. Agora eu tô um pouco mais entediada, um pouco mais irritada, sempre sem rumo. O tempo tá passando, sabe, e eu não sei se aguento o tranco.

Eu tô te esquecendo, mas certas coisas ainda me fazem lembrar. É como um sorriso em meio a lágrimas. Trágico, mas ainda sim tem sua beleza. Então enfim eu vivi algo inacreditável e meio amargo. Talvez eu volte para você e faça tudo de novo, mas enquanto isso não acontece, eu vou procurar o que ainda sobrou de mim aqui dentro.

#Aleatoriedades: Quando você não se encaixa mais

Os dias estão passando rápido e eu tô sem tempo. É engraçado como nossa geração quer sempre se sentir produtivo, de um jeito ou de outro. E sabe quando você não se encaixa em mais nada ao seu redor?

Eu decidi que eu preciso focar em algo, e claro que esse “algo” não será nada fácil, mas primeiro de tudo você precisa de um objetivo, um sonho, um alvo. Eu sempre pensei em todas as pessoas e todas consequências antes de fazer tudo na minha vida. Infelizmente uma hora a gente cresce e se não for para fazer por nós mesmo, ninguém levantará um dedo para ajudar. Então eu decidi, há um bom tempo eu decidi que não quero mais me ver amarrada na minha terra natal, quero é explorar toda essa terra aí fora.

Então meu conselho é simplesmente olhar para dentro. Qual é o seu sonho? O que você quer ter na sua vida? Entenda que viver o agora é algo tão especial e incrível, e a única pessoa que pode te motivar e alcançar o supra sumo da sua vida é você mesmo. Acredite em tudo o que está dentro de você.

#YT: Tudo sobre meu primeiro livro

Olá pessu, tudo bom?
Vídeo saindo e sobre o que é? Claro, sobre o meu primeiro livro publicado!
Contei sobre como foi o desenvolvimento da meu produto de TCC, sobre os capítulos, os congressos de ufologia. Enfim, tudo o que precisei fazer para escrever o livro!

Espero que gostem
Não se esqueçam de curtir, se tiver alguma dúvida pode deixar nos comentário e se inscrevam! ❤

#Aleatoriedades: Sobre meus arrependimentos, ou não…

Uma vez eu fiz um desafio de Facebook onde selecionei sete conselhos que eu daria para a Kamila de 15 anos. Vou trazê-los para o meu blog, quem sabe que eu não posso ajudar alguém que está com problemas, não é?

Então vamos lá:

1. Esquece, todos os seus amigos de hoje não vão dar a mínima importância para a sua existência daqui a alguns anos. Não se desgaste em tentar ser o que você não quer, ou correr atrás de alguém que não merece sua amizade. Com o tempo você vai ter tantas pessoas boas ao seu lado, tantas pessoas que serão seus amigos por amor, e não só por conveniência.

2. Seus pais são o seu maior bem. Não brigue, não discuta, apenas tente conversar. Eu sei que eles são de outra época, mas eles tentam te dar tudo o que você merece, o melhor deles. Vai ser pior com o tempo, vão ficar ainda mais no seu pé, mas vai melhorar.

3. Viva os seus próprios momentos! Não se importe se você é da tribo punk, das bruxas, dos emos e todo mundo debocha de você. Acredito hoje que eles só queriam ser como você, pois afinal, eles começaram a gostar das mesmas bandas que você depois de um tempo.

4. Você não vai casar com o carinha que você gosta, pode desistir. Vai doer, vai ser difícil, vai ser chato para caramba e vai demorar para passar. Mas você vai entender com o tempo que você é sua melhor companhia, vai dançar horrores em baladas, não vai se prender a ninguém, vai aproveitar sua vida e só depois vai pensar em namoros.

5.  Menina, cante bem alto todas as músicas que você mais ama! Não pense em julgamentos, não ligue para os outros e sempre, sempre seja você mesma. Não tente agradar ninguém, jamais!

6. Curta muito o período escolar. Sei que parece bem bobo, mas você vai sentir falta dos momentos mais preciosos com seus amigos e consigo mesma. Aproveite cada almoço com os amigos, cada passeio no shopping, cada filme e cada festinha de aniversário. Passa tão rápido que num momento você pisca e já está fazendo 18 anos, e o tempo passa tão rápido depois dessa idade.

7. Aprenda a se valorizar, a gostar de cada partezinha de você. As vezes todo mundo parece muito cruel, muito banal e você pode pensar em desistir. Mas respira fundo, abrace aquela pessoa que você mais ama, e curta os momentos de felicidade com todo mundo. Você não imagina a falta que isso fará para você, então aproveita!

Só agora eu entendo as delícias e experiências maravilhosas que temos quando somos jovens. Cresci nos anos 90/2000 e por mais que passar por tudo tivesse sido menos agressivo que hoje, na nossa cabecinha de adolescente é tudo tão grande. Eu espero que tudo isso passe rápido, mas que você aproveite ao máximo tudo o que a vida te proporcionar! ❤

#Aleatoriedades: Aquela lista, sabe…

Ouvi de longe um barulho enquanto tomava um copo de água do lado de fora de casa. Eu não corri para ver a mensagem, eu já sabia que não era você. O dia tava tão lindo que eu não pude deixar de sentir o sol por um minuto tocando minha pele antes de me decepcionar pela centésima vez diante de uma tela digital.

Eu não gosto do jeito que trato as coisas que nem deveriam fazer a mínima diferença pelo pouco tempo de duração. Eu não gosto dessa pessoa que eu vejo quando olho pelo lado de fora, tentando encontrar maneiras de fazer com que você sinta a minha falta.

Porque lá no fundo, mesmo com o meu orgulho ferido, eu ainda quero tomar café na sua varanda, quero andar no seu carro pequeno ouvindo músicas que eu sempre detestei enquanto você zomba das minhas. Eu quero continuar te vendo em cima de mim porque esse angulo te favorece, e você me olha como se seu coração fosse explodir. Eu não quero esquecer e ter que te colocar na minha lista de caras ruins.

Ouvi aquele mesmo barulho de mensagem durante o banho. O barulho interrompeu a minha música favorita, o que me incomodou um pouco. Eu não corri para ver o que era pois mais um vez, eu sei que não era você. E eu vou acabar esquecendo, como aconteceu antes, e você vai ser reduzido a mais um cara ruim de uma lista que toda mulher carrega em sua cabeça. Será somente um cara que eu simplesmente esqueci.

#CreepyStories: O Começo

Quando tinha meus 17/18 anos eu gostava de escrever histórias de terror. Mais especificamente, eu sonhava ou tinha pesadelos que eu sempre me lembrava e aproveitava para descrevê-los. Como a tecnologia de antigamente não era tão avançada, acabei perdendo, infelizmente, todos os meus textos. E como eu amava escrever. Hoje daria com certeza um livro de contos assombrados.

Ainda tenho alguns trechos que costumava postar nos meus antigos blogs, então vou aproveitar para postar algumas coisinhas para vocês. Quero muito voltar a escrever essas histórias, pois essa é aquela tal oportunidade que você não pode desperdiçar. E quando você é bom em algo, precisa aprimorá-lo e deixar que as pessoas vejam!

Um trechinho de “Condenados”:

“Seus pés estavam descalços, suas mãos estavam geladas como sempre. Era princípio de inverno, as árvores balançavam e entre elas uma pequena casa. Toda aquela floresta parecia enorme, Nathali escolheu aquele lugar para se esconder do mundo, mas mesmo lá, diante do nada, o mundo ainda a perseguia.
[…]
A garota tentou de muitas formas sair daquela casa, mas ao mesmo tempo pensava como sairia daquele lugar com tanta neve caindo do lado de fora. Daniel chegou mais perto, perto demais para conseguir se desvincilhar daqueles braços, ele era muito mais forte que ela. Em um breve momento, os dois se enfrentavam pelo chão, Nath conseguiu tirar a faca que estava nas mãos de Daniel, então aconteceu. Seus olhos estalados, boca aberta, sofria calado. Nathali sentiu algo escorrendo pelas suas mãos e não pode acreditar, a faca tinha entrado. Daniel não aguentou, morreu em minutos jorrando sangue para todos os cantos daquela pequena casa na floresta.

O lugar ainda estava infestado de sangue e os policiais procuravam a quem culpar. Eles mal sabiam eles que o culpado já estava longe demais. Mesmo sendo inocente e ter agido em legítima defesa, Nathali havia assassinado alguém.”